Moda

Branded Content – Brand Relations.

TODO MUNDO USA SUA MARCA? NÃO? ENTÃO ELA NÃO ESTÁ NA MODA.

Desde criança, o conceito daquilo que estava na moda para mim era o que todo o mundo estava usando. Claro que este “todo o mundo” é uma hipérbole, mas a expressão clara de uma sensação. Talvez a mesma aquela que impulsione as pessoas a comprarem determinado produto para não se sentirem muito diferente das outras, ou melhor dizendo, fora da moda.

Me parece que agora este sentido também está fora de moda. Apesar do comportamento manada de consumo ainda existir, as pessoas não gostem de ser taxadas de Maria Vai com as Outras. No entanto, moda, seja em massa ou seja em nicho, é moda.

Na convivência do ambiente fabril, ao longo dos anos, a moda parece ganhar um outro sentido, mais complexo, quase que literalmente a definição do dicionário, quando passaram a tratá-la como uma tendência de consumo, composta por diversos estilos que podem ter sido ou não influenciados sob vários aspectos. Ahn? Será mesmo?

Mas o que define de fato se sua marca é moda ou está na moda? Se ela está na moda, então usa o que todo o mundo está usando, mas se ela é moda, aí todo o mundo está usando sua marca, entendeu a diferença?

Esta dúvida remete a uma crise existencial. Qual a razão da existência da sua marca? Ela tem uma causa? Qual o propósito dela? Quais são os seus valores? Ela é moda ou está na moda? Quando uma fábrica concentra-se somente nos processos produtivos e comerciais de sua marca, ela está na moda, e provavelmente vai pautar seus lançamentos em algum produto lançado por uma marca que é moda. Será uma segunda, terceira ou quarta opção no mercado.

Agora quando a concentração é em processos para a construção de conteúdos e relacionamentos, provavelmente sua marca será moda. É o que chamam de Branded Content – o conteúdo gerado e produzido pela marca, não necessariamente sobre seus produtos e serviços, mas sobre seus valores e crenças. E Brand Relations – o relacionamento gerado pela afinidade, interação, troca e tempo deste conteúdo com o consumidor. Dois conceitos simples, complementares, já utilizados por grandes marcas, mas que fazem o diferencial na influência do comportamento de consumo para gerar moda.

A edição de 2012 do Festival de Publicidade de Cannes, incluiu a categoria Branded Content na sua premiação. Um reconhecimento ao método provadamente muito bem sucedido. Marcas como Apple, Nike e em especial a Red Bull utilizam-se mais desta tática do que a da publicidade para manter suas marcas na moda. No Rio Grande do Sul, a rede de supermercados Zaffari emociona os gaúchos com seus vídeos de final de ano.

A Red Bull, liderada pelo austríaco Dietrich Mateschitz, por exemplo, fundou em 2007 a Red Bull Media House, uma unidade de negócios independente que produz conteúdo para TV, cinema, imprensa escrita e internet. Ela também gera músicas e desenvolve aplicativos para smarthphones, tablets e videogames. Seus conteúdos não tem como objetivo divulgar e nem vender o produto da Red Bull, mas sim relacionar o consumidor com a marca e liga-lo aos seus valores. Os consumidores em contato com esse conteúdos são transportados para parte do mundo da Red Bull, um mundo em perfeito alinhamento com a essência de seu produto: um energético.

A internet foi parar nas coisas e as coisas tornaram-se mídia, intensificando os relacionamentos. O consumo de mídia mudou. A moda também mudou. E para que sua marca seja ouvida e notada neste ambiente tumultuado, ela precisa ter um posicionamento claro e singular. Precisa também ser relevante para as necessidades e os desejos racionais dos consumidores. Precisa produzir conteúdo, pois conteúdo hoje é moda.

Lançamento Ortopé Estica & Puxa com borrachinhas coloridas promete ser a nova moda entre as crianças

Moda, praticidade e diversão são os componentes do novo tênis infantil que abre os lançamentos da Ortopé para o outono-inverno 2015. É o Ortopé Estica & Puxa, que vem com uma nova forma prática, divertida e customizável de fechamento. No lugar da tradicional amarração dos cadarços entram as borrachinhas resistentes, coloridas e colecionáveis, que trazem também maior interatividade com as crianças estimulando a criatividade e personalização.

Segundo Fabio Schmitz, gerente de comunicação da Ortopé, o lançamento segue a tendência dos produtos customizáveis que estão fazendo o maior sucesso entre as crianças lá fora, como o “Rainbowloom”, e traz para o mercado nacional uma boa dose de inovação e criatividade para enfrentar 2015, um ano considerado difícil nas previsões dos economistas.

“A Ortopé não deixou de investir em pesquisa e desenvolvimento de produtos. Acreditamos que este lançamento de abertura da coleção vai ser um sucesso e vender dez vezes mais tênis por linha da marca em 2015 do que em 2014”, afirma ele.

Estica & Puxa

Ortopé

A novidade deve responder pela venda de 100 mil pares de tênis infantis da marca

e faturamento na ordem dos R$ 6,5 milhões só com este produto no primeiro semestre

Unisex, em numeração do 25 ao 36, com seis opções de cores e uma cartela com oito borrachinhas coloridas, além das que já vem no tênis, o Ortopé Estica & Puxa traz junto com seus apelos lúdicos, qualidades para a saúde dos pés das crianças na sua composição, o que já é característico dos produtos Ortopé.

A novidade agora fica por conta da palmilha esportiva exclusiva “Gravidade Zero”. Produzida em malha especial com tramas que permitem uma maior absorção do impacto, possui uma espuma viscoelástica baseada em uma tecnologia criada por cientistas americanos, muito mais leve e que se molda totalmente ao pé da criança e depois recupera a forma original, preservando sua curvatura natural e proporcionando uma agradável sensação de conforto e maciez no caminhar.

O Estica & Puxa deve esticar e puxar também as vendas da marca na largada do ano. A previsão é de um crescimento 20% superior às vendas de 2014. A expectativa da Ortopé é da produção de mais de 2 milhões de pares este ano, para um faturamento ao redor dos R$ 100 milhões.

A meta do Grupo Paquetá com a Ortopé para 2020 é chegar a um faturamento na ordem dos R$ 180 milhões, tornando-se a marca, não de maior volume, mas a mais querida dos brasileiros no segmento infantil, como já foi um dia na década de 80.

(*) Fundado em 20 de junho de 1945 na cidade de Sapiranga/RS, o Grupo Paquetá atua em diversos segmentos de negócios, divididos em: indústria de calçados, varejo de calçados, marcas próprias, empreendimentos imobiliários e administradora de cartões de crédito. O seu portfólio é composto pelas marcas Paquetá, Gaston, Paquetá Esportes, Esposende, Dumond, Capodarte, Lilly’s Closet, Atelier Mix e Ortopé.