Inbound Marketing para reduzir custos, superar a crise e vender mais.

 

O cenário mudou e as estratégias precisam mudar também.

Em um cenário de retração econômica, consumo consciente e crescente presença digital, a velha estratégia de alardear suas qualidades para um grande volume de pessoas nas mídias de massa já não possui mais a mesma efetividade. Se não é sensato obter resultados diferentes fazendo as mesmas coisas, o Inbound Marketing,  focado na construção do relacionamento com os consumidores através da oferta de conteúdos relevantes, cada vez mais se consolida como a alternativa lógica para obter melhores resultados em vendas.

Inbound Marketing

É verdade que estamos enfrentando uma crise, porém, mais importante do que ela, é a mudança de comportamento dos consumidores. As pessoas não querem mais ser interrompidas por uma enxurrada de mensagens de produtos e serviços que não lhes interessam. Elas estão cada vez mais tempo imersas no ambiente digital onde procuram informações sobre o que estão interessadas em consumir. As empresas que entenderam esta nova dinâmica estão se tornando “encontráveis” por estes consumidores que, ignorando as técnicas do marketing tradicional dos concorrentes, acabam chegando às suas plataformas digitais de relacionamento e conversão de vendas.

 

Quando o melhor custa menos

Se você já precisou anunciar utilizando os meios tradicionais como TV, rádio, outdoor,  jornais e revistas certamente percebeu que o investimento é alto e o retorno incerto. Além dos elevados custos de criação, produção e veiculação de uma peça publicitária, há ainda o desperdício de atingir uma grande quantidade de pessoas que não estão interessadas no que você está oferecendo ou sequer fazem parte do seu público-alvo.

No Inbound Marketing  a veiculação de conteúdo nos canais digitais e a contratação de uma campanha online custa uma fração do método convencional. Além disso, a sua mensagem possui um alcance que é potencializado pelo seu compartilhamento por quem se identifica com a marca e/ou conteúdo e, por não estar restrita aos períodos contratados das mídias tradicionais, ela permanecerá disponível nos seus canais online contribuindo para a “encontrabilidade” da sua marca, produto ou serviço.

 

A sua oferta encontrada por quem quer e pode comprar

Sim, todo mundo já sentiu no bolso a redução do consumo. Uma consequência básica disso é que, somado ao público que não está interessado, houve um aumento considerável de pessoas que não podem comprar seu produto ou serviço, tornando ainda mais dispendioso anunciar para as grandes massas.

Inbound marketing2

Daí a importância de atingir quem realmente tem interesse e condições de comprar o que você quer vender. Por utilizar a estratégia de atrair em vez de oferecer, o Inbound Marketing permite que a sua oferta seja encontrada por quem possui potencial concreto (interesse e renda) de adquirí-la.

 

Resultado comprovado tem mais valor

Como já foi dito acima, um dos problemas das estratégias de divulgação focadas na utilização dos veículos de massa é a dificuldade da comprovação de resultado, sendo que muitos anunciantes sentem a angústia creditada a Lord Leverhulme:  “Eu sei que metade do meu orçamento para publicidade é desperdiçado, mas não sei  qual metade”.

Resultado comprovado

Esta é uma vantagem significativa do Inbound Marketing: seja qual for seu objetivo, ele pode ser facilmente verificável e mensurável. Seja no engajamento de leads, no reconhecimento de autoridade, geração de mais conversões ou redução do custo por vendas, você dispõe de dados concretos em tempo real do resultado de cada iniciativa ou investimento. Desta forma é possível comprovar os acertos para estimular sua continuidade e descobrir os erros para corrigir de forma ágil e econômica o que não está dando o retorno desejado.

Você pode saber mais sobre mensuração em marketing digital neste link: http://bpress.com.br/kpis-como-medir-seus-resultados-em-marketing-digital/

 

Os últimos ganharão menos que os primeiros

No livro A Estratégia do Oceano Azul, W. Chan Kim e Renée Mauborgne ensinam como investir em mercados inexplorados, quando os melhores resultados são colhidos por quem aproveita antes que eles sejam tomados por uma concorrência predatória.

Oceano azul

O Inbound Marketing, apesar de ser a grande oportunidade para o crescimento dos negócios, com potencial para proporcionar aumento da carteira de clientes e da taxa de conversão em vendas, ainda é pouco difundido no Brasil. O mais comum é a utilização de ferramentas como marketing de conteúdo, e-mail marketing ou gestão de mídias sociais de forma isolada, sem uma estratégia integrada de marketing digital.

Neste momento de crise, quem se antecipar à concorrência no mercado digital será menos atingido pelas turbulências do mercado, terá mais condições de se tornar referência para o novo consumidor e estará mais preparado para potencializar seus ganhos quando se iniciar um novo ciclo de crescimento econômico.

 

A Business Press é uma Agência de marketing digital híbrida que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa, marketing de conteúdo e design thinking. Entre em contato conosco e faça uma avaliação gratuita da sua presença online e da sua estratégia de marketing digital. 

 

 

Para melhorar as vendas seu marketing digital precisa integrar mídia própria, paga e espontânea.

O marketing digital, quando bem implementado, tanto no B2C quanto no B2B, além de impactar positivamente os simpatizantes da marca com conteúdos do seu universo de valores, alimentando-os principalmente de informações atualizadas sobre lançamentos, qualidades e diferenciais frente a concorrência, auxilia-os na identificação dos seus produtos quando a compra é oportuna, direcionando-os ao canal de vendas da sua escolha. Afinal, engajamento em mídias sociais não mede o resultado do seu marketing digital. É preciso fazer muito mais e, além de atrair, converter em lead, relacionar, acompanhar e guiar curtidores e seguidores de sua marca pela jornada de compra para obter resultados melhores de vendas.

No B2C estes canais podem ser links de lojas próprias ou parceiras da marca na internet, como também a loja física ou franquia mais próxima do consumidor. No B2B direciona-se o potencial comprador ao representante local, distribuidor ou o canal na internet de venda direta da empresa.

Para gerir bem este processo chamado de funil de vendas, é preciso implementar a metodologia de Inbound Marketing e produzir conteúdos estratégicos direcionados a todas as etapas em que os potenciais clientes passam por este funil até a venda, nutrindo-os de informações importantes para o amadurecimento da compra. Integrar o mix de mídia de forma alinhada portanto, torna-se fundamental para alcançar resultados melhores nesta empreitada. Tudo exige o conteúdo certo, no lugar certo e na hora certa.

Qual o mix de mídia ideal?

O mix de mídia ideal vai depender das variáveis de cada negócio, perfil de produto, do consumidor, do comportamento habitual de compra, etc. O certo é que ele deverá contemplar três tipos de mídia: Própria, Paga e Espontânea.

INFO_-_INBOUND-2

MÍDIA PRÓPRIA 

A mídia própria é aquela produzida pela própria empresa para disseminar seus conteúdos. No ambiente digital ela é composta pelo site da marca, blog ou canal de vídeo na web, além das mídias sociais, catálogos eletrônicos de produtos, e-books, e-magazines, newsletters, e-mail marketing, entre outras.

Nesta mídia o conteúdo editorial é determinado pela empresa e seu departamento de marketing, portanto de total liberdade para a publicação do que quiser sobre a marca e seus produtos e da maneira como achar melhor. No entanto recomenda-se que os conteúdos sejam extremamente focados no business e seus valores, obedecendo a técnicas de SEO para evoluir e ampliar o tráfego orgânico da marca e seus produtos em temas e palavras-chave ligados a eles, para que os interessados possam achá-los quando derem uma busca no Google.

Esta é a mídia mais econômica para se comunicar com os potenciais consumidores e compradores da marca, porém sozinha não oferece resultados imediatos. Eles demoram muito a chegar e por isso preciso uma mídia complementar para impulsionar os resultados.

MÍDIA PAGA

A mídia paga, como o próprio nome já diz, é aquela que compramos a publicidade, como no caso dos anúncios em sites, portais, blogs de terceiros, links patrocinados, facebook Ads, Twitter Ads, banners etc.

Neste tipo de mídia, o comprador anunciante também controla o conteúdo e a mensagem que será transmitida e ainda consegue segmentar o seu alcance, podendo filtrar posição geográfica, social, econômica e até comportamental, fazendo com que a mensagem chegue apenas ao seu público-alvo. Diferente da mídia própria, a paga chega mais rápido nos prospects, no entanto com ela seu Custo de Aquisição de Cliente (CAC) deverá subir. A integração do mix de mídia visa equilibrar este custo, ampliar o alcance e otimizar o orçamento, provocando resultados melhores.

MÍDIA ESPONTÂNEA OU GANHA

A mídia espontânea ou ganha é aquela que sua marca conquista através da sua boa reputação, verificada quando algum veiculo de mídia noticioso ou blog publica algo espontaneamente sobre ela e seus produtos de forma positiva, apresentando como novidade ou indicando o uso.

As formas de conquistar estes espaços são através de conteúdos relevantes, seja de forma orgânica, o que vai exigir sorte, ou um bom trabalho de assessoria de imprensa e relações públicas.

Os resultados podem ser aferidos por editoriais de imprensa institucionais ou de produtos, reportagens, matérias, posts em blogs especializados, SEO, inbound links, tudo de forma espontânea, sem sua marca ter que pagar pelas publicações. E como tal, está subordinada a aprovação de um editor, jornalista, blogueiro, ou até mesmo um cliente. E é esta característica que torna esta mídia de maior credibilidade, no entanto ela não depende apenas da marca.

Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

 

O retorno dos blogs e sua importância na estratégia de inbound marketing das marcas

Quando os blogs viraram febre, há mais ou menos uns seis ou sete anos, todas as marcas queriam surfar a nova onda. Criar o site da empresa com um blog se tornava praticamente uma obrigatoriedade, mas que os departamentos de marketing, tomados pelas demandas tradicionais do dia a dia não sabiam, e muitos ainda não sabem como utilizá-lo, tanto como estratégia de marketing como de vendas.

Um pouco da história da febre dos blogs neste contexto

O Blog era uma novidade e a verdade é que ninguém sabia mesmo ao certo a forma mais eficiente e profissional de gerar resultados através dele. Nós da Business Press, naquela época ainda atuantes somente como assessoria de imprensa, ficamos um tanto quanto apreensivos, pois eram novos espaços com audiências surpreendentes, mas em sua maioria com credibilidade duvidosa. Da mesma forma, os clientes queriam estar lá, fosse criando o próprio blog em sua página na internet, tentando elevar de alguma forma a audiência do seu site, ou mesmo pegando carona na audiência destes blogueiros, que surgiram fazendo sucesso.

 

Frase do dia do Blog Shame

Frase do dia do Blog Shame https://blogueirashame.wordpress.com

O problema era que além do surgimento de blogs profissionais com elevada audiência, mas que cobravam igual ou mais do que uma mídia tradicional, seja para fixar um banner ou fazer um publieditorial, surgiram também os que trocavam posts por produtos. E aqueles que apresentavam o mídia kit praticamente vendendo o editorial, faziam isso sem informar ao seu leitor do espaço comercial. Tinham também os que a audiência era conquistada com sorteios de produtos e os que concentravam os sorteios da web no seu blog como um serviço, para elevar a audiência da sua página e atrair anunciantes. Tinha de tudo. E em consequência disso, surgiram até blogs contestando estas reputações conquistadas com audiência, como o da blogueira Shame, com a proposta de promover uma reflexão sobre os conteúdos publicados nos blogs, denunciando posts publicitários não identificados. Ela se tornou um sucesso e marcou a principal interrogação desta febre.

O fato é que os números mensuráveis de audiência atraíam os departamentos de marketing, carentes por resultados mais efetivos, de impacto nas vendas, ou ao menos com números que justificassem o ROI – Return on Investment. Neste momento, o número de seguidores passou a pautar as investidas das marcas em blogs e até certo ponto, de forma generalizada, tornou-se um parâmetro utilizado até hoje por muitas empresas. Afinal, no comparativo com a mídia tradicional, além de confirmar o número de pessoas impactadas em tempo real, era possível saber quem eram elas, e isso já era uma evolução.

Com o tempo o mercado filtrou os melhores blogs, que consolidaram-se como mídia digital. E o seu boom, como toda febre, passou, dando lugar às mídias sociais. Então as empresas começaram a questionar a importância do blog na estratégia de marketing digital de suas marcas e produtos, “já que todo mundo estava no Facebook”.

Hoje é muito comum ver sites que não usam blogs. É muito mais fácil e cômodo para as empresas atualmente, utilizarem uma Fanpage no Facebook ou um perfil no Instagram. Uma fanpage traz além da vantagem de ampliar a própria audiência, a possibilidade de saber não só exatamente quem são os seguidores da marca, como nos blogs, mas seus hábitos, preferências e comportamentos. Só que não revela quais e quantos destes seguidores estão prontos para comprar os seus produtos ou serviços em qualquer um dos seus canais de venda, seja online ou em uma loja física. A não ser que este seguidor se manifeste. Ainda assim, ele pode estar em dúvida entre a sua marca e outra concorrente que ele também segue nas mídias sociais.

É neste cenário que cresce o método de gestão Inbound Marketing, que hoje une marketing e tecnologia para gerir de forma integrada e enxuta todos os canais digitais de uma marca. Nele o Blog é a espinha dorsal e tem função fundamental na estratégia que integra site, blog, mídias sociais, técnicas de SEO do Google, publicidade online e mail marketing.

E o que é Inbound Marketing? Qual a importância do blog na sua estratégia?
Inbound marketing (marketing de atração ou marketing de permissão) é um método inovador que rompe com os antigos conceitos de marketing de interrupção – aquele que te interrompe em algum momento do seu dia, muitas vezes em horas inadequadas para te oferecer um produto ou serviço (no seu e-mail, por telefone, no meio do seu programa de tv favorito, na leitura de um artigo etc.)

O Inbound cresce porque houve uma mudança muito brusca no comportamento de compra com o crescimento do acesso a internet, principalmente via mobile. As pessoas estão buscando informações no Google sobre produtos e serviços com muito mais intensidade. Hoje, 65% das compras são decididas em pesquisas na internet e é por isso que os blogs voltaram com tanta importância, para cumprir o papel de auxílio nesta decisão.

Uma empresa que tenha um blog com informações úteis e uma estratégia de marketing de conteúdo baseada naquilo que o seu seguidor e potencial consumidor está buscando, tem muito mais chances de ampliar as suas vendas do que aquele concorrente que não tem. E melhor, entregando aquilo que o consumidor está buscando e não forçando uma venda, que sabemos pode ter consequências negativas.

É uma nova visão de marketing e de trabalho, que se baseia em ganhar o interesse das pessoas e fazer com que seus potenciais clientes te encontrem e lhe procurem. O velho marketing, chamado de Outbound marketing, é aquela tática que conhecemos que busca oferecer os seus produtos ou serviços para o público em geral. O Inbound faz exatamente o contrário, seu objetivo é atrair os potenciais clientes até a empresa, fazer com que eles te encontrem, se comunicar com eles, entender suas necessidades, ajudá-los e por fim, encantá-los.

Método de Inbound Marketing

Método de Inbound Marketing

A ideia básica é agregar valor e ser relevante para que os assinantes apareçam. Em termos de tática, a melhor maneira de começar a gerar oportunidades com o inbound marketing é iniciar um blog e criar conteúdo de boa qualidade e fácil detecção. Esse blog vai ser responsável pela, digamos assim, “biblioteca” de conteúdos da sua marca e de seus produtos, com todas as defesas, benefícios e utilidades que ele oferece. Estes conteúdos no entanto devem ser estratégicos e entregar aos seus seguidores a resposta que eles procuram.

A Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

Marketing de conteúdo é extrair a essência das marcas

Quando nosso grande parceiro e fornecedor de fotografia Tamires Kopp nos apresentou o projeto Arrieros – Un Documental, ficamos encantados com a densidade do conteúdo, sua riqueza histórica e não pudemos deixar de associá-lo a um grande cliente nosso de logística, a MultiArmazens.

Arriero, na linguagem do homem do campo argentino significa “condutor de animais”, e foi no lombo destes animais, especificamente mulas que, ainda durante o período colonial, construíram-se as rotas andinas de comércio e transporte entre Argentina e Chile. E o mais impressionante neste contexto, é que essa história segue viva nos dias de hoje, com o transporte através de mulas ainda intenso no Parque Provincial Aconcágua, feito por arrieros descendentes, mantendo a tradição da profissão de logística mais antiga que se tem registro na América do Sul. Um ícone histórico da cultura dos pampas, que já foi até tema de Walt Disney em um de seus longa-metragens.Arreio Un Documental

A idéia de um documentário sobre esta profissão logística casou perfeitamente com o momento de vanguarda da Multi Armazens, investindo em ações ousadas de branding e marketing de conteúdo no intuito de valorizar os avanços tecnológicos e diferencias conquistados pela marca em seu segmento no país, tão tradicional e conservador em comunicação e marketing. Entre as novidades da Multi Armazéns, a instalação de um escritório em Buenos Aires e novas rotas para aquele país, Uruguai e Chile.

Conectamos então a Multi Armazéns a esse documentário fantástico captando a essência da marca em um conteúdo valoroso, de altíssima qualidade, premium, ligado ao seu negócio, sua importância e impacto cultural. A Multi apoiou o projeto curiosamente na parte da logística, para o grupo TerraMar, produtor do documentário, ir até a Argentina captar as imagens. A qualidade deste belíssimo trabalho vocês podem acompanhar no trailer de lançamento abaixo.

Para a Business Press, Marketing de Conteúdo é extrair a essência das marcas, conectando pontos de interesse, e isso, modéstia parte, nós fazemos bem.

Business Press é uma agência de marketing digital, que desenvolve estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

Engajamento em mídias sociais não mede o resultado do seu marketing digital

A primeira vantagem tangível que os gestores de marketing se balizam para investir em marketing digital é a mensuração no comparativo com a mídia tradicional, mas ela não é a mais importante. É verdade que em um anúncio ou editorial de revista não é possível saber quantos dos leitores da publicação o visualizaram, enquanto nas mídias sociais sabemos sobre o tráfego, visitantes, cliques, curtidas e compartilhamentos. E é assim no comparativo com propaganda em televisão, rádio ou outdoor, entre outras mídias tradicionais.

Não dá pra negar que as mídias sociais trazem um avanço considerável na precisão dos números do público impactado, com o diferencial ainda maior da noção do engajamento. E ainda há os gestores que vendo essa tangibilidade, utilizam-se somente deste, digamos assim upgrade, para medir o resultado do seu marketing digital. Só que nesta nova área do conhecimento de marketing na internet, a possibilidade de mensuração e acompanhamento deste público vão muito mais além do impacto no consumidor e do seu engajamento. O marketing agora converte em vendas.

Hoje é possível com um bom e barato software de Inbound Marketing (marketing de atração), postar conteúdos nas mídias sociais, analisar o trafego do site no google analythics, realizar estratégia de SEO, analisar keywords para o google adwords, acompanhar o impacto dos anúncios, produzir landing pages, gerar leads, criar um fluxo de mail marketing segmentado, relacionar-se diretamente com cada lead e converter vendas. Tudo de forma integrada, automatizada e com métricas e gráficos diários, semanais e mensais, atuando proativamente sobre o engajamento e aferindo o quanto os seguidores são potenciais consumidores da sua marca e se realmente compram o seu produto.

metodologia-inbound-marketing

Neste contexto os resultados são medidos pelo número de vendas geradas pelo marketing digital e não do engajamento do público nas mídias sociais. O engajamento é só uma avaliação melhor do que uma mídia tradicional, mas não o suficiente para medir resultados. Usá-lo como resultado é fazer marketing digital com uma visão ainda analógica. Os planejamentos e as ações neste sentido também mudaram.

O que mensura o resultado do marketing digital é a conversão de seguidores em leads e de leads em vendas, mas o que é um lead, afinal? É a pessoa que demonstra tamanho interesse na sua marca a ponto de lhe fornecer seus dados de contato. Visitantes você não sabe quem é, lead sim e o que lhe interessa.

Então para medir os resultados do seu marketing digital procure criar uma estratégia de Inbound Marketing para atrair visitantes às suas mídias sociais, mas no intuito de gerar cliques e consequentes visitas ao seu blog, seu site, que deve ser responsivo e onde devem estar os principais conteúdos da sua marca. Faça isso acompanhando o tráfego, as respostas aos conteúdos e anunciando continuamente para impulsionar estas visitas e estes cliques. Realize também campanhas no Google Adwords, Facebook Ads e Twitter para atrair visitantes às suas plataformas digitais. Use ofertas em landing pages para gerar leads, relacione-se com eles por mail marketing e telemarketing e realize vendas.

Isto não é uma fórmula mas uma noção do que é resultado em marketing digital e de uma série de coisas que são preciso fazer para alcançá-lo.

A Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

Lego e a queda de barreiras entre o mundo digital e o real.

Canoas Shopping recebe o Lego City, evento gratuito voltado a crianças até 12 anos e que pode ser visitado  até 2 de agosto.

Lego City

Qual a importância de um brinquedo feito de blocos de plástico que se encaixam uns nos outros em uma era onde as crianças já nascem imersas em um universo digital repleto de apelos irresistíveis?

Talvez um dos fatores que expliquem a longevidade deste produto criado em meados da década de 50 seja paradoxalmente a sua similaridade com a dinâmica das atividades online. De forma diversa de brinquedos “analógicos” como carrinhos ou bonecas que possuem uma atratividade restrita à sua funcionalidade explícita, o Lego permite a criação de uma infinidade de formas e funções que podem ser ampliadas e recombinadas, mantendo o interesse na brincadeira.

Mas outro aspecto que torna o Lego interessante para uma nova geração de crianças, é justamente uma de suas características mais anacrônicas: o fato de não haver uma tela separando-as da brincadeira. Afinal, computadores, smartphones e tablets podem ser uma fonte inesgotável de diversão, mas não permitem os prazeres do toque e da manipulação de objetos tridimencionais que os tijolinhos coloridos oferecem.

Os blocos de Lego também desenvolvem o raciocínio espacial, tornam mais compreensíveis conceitos matemáticos como frações e divisão, além de aprimorar habilidades motoras finas.  Isso sem falar no planejamento e organização que a criança precisa ter para transformar suas ideias em realidade e no mais óbvio benefício que é a potencialização da criatividade, já que as possibilidades oferecidas pelos blocos intercambiáveis são infinitas.

Pude comprovar pessoalmente como a experiência Lego permanece relevante ao ver a grande quantidade de crianças participando do Lego City no Canoas Shopping , mesmo sendo esta uma geração totalmente online. E este é mais um indicativo de que o verdadeiro anacronismo é a barreira entre o mundo digital e o real.

Arte abstrata, reconhecimento concreto.

Com o título Variáveis espaciais: paisagens abstratas exposição apresenta pela primeira vez no país as obras da artista plástica Heloisa Corrêa que é brasileira, mas está há 20 anos radicada na Alemanha.

A cerimônia de abertura, realizada no dia 6 de maio na Casa de Cultura de Caxias do Sul/RS – sua cidade natal, foi um sucesso de público, crítica e vendas. Mais de 200 pessoas prestigiaram o evento que contou com ampla cobertura da imprensa e resultou na venda de 30% das obras expostas antes mesmo do início da visitação pública, que ocorre de 7 a 30 de maio.

As variáveis espaciais têm sua origem na vivência da artista em países como Estados Unidos, Argentina, México, Venezuela e Alemanha, onde reside há duas décadas. Na mostra, Heloisa expõe a sua produção  mais recente, traduzindo em paisagens abstratas a influência do seu entorno – no caso uma terra de longos invernos cinzentos que despertam a vontade de ver cores.

 

A mostra variáveis espaciais: paisagens abstratas acontece na Galeria Municipal de Arte Gerd Bornheim, da Casa de Cultura de Caxias do Sul.

Endereço:  Rua Dr. Montaury, 1333 – Centro – Caxias do Sul/RS.

Data: de 08 a 30 de maio de 2015

Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h.

Entrada franca

 

 

Storytelling não é só sair contando histórias.

Os últimos desejos da Kombi – Como não se sensibilizar com o documentário narrado em primeira pessoa pela própria Kombi ao chegar no final de sua vida?

 

Há algum tempo Philip Kotler já sinaliza que as marcas transcendem o mercado de consumo, tornando-se fenômenos politicos, culturais e socioeconômicos e que o marketing está em um cenário em que o foco deve ser o campo das aspirações, dos valores e do espírito das pessoas.

Neste contexto, contar uma boa história é uma forma eficiente de atribuir significado a propostas de valor, construir identidades e gerar empatia com o público.

Esta história, se elaborada de acordo com a metodologia do storytelling que envolve uma série de técnicas para a construção do universo ficcional, a evolução da narrativa, o desenvolvimento dos personagens e os “ganchos” que prendem a atenção do público, cria um elo emocional com o consumidor que potencializa o engajamento e a valoração de elementos básicos de seu convencimento.

Mas é importante lembrar que todo este esforço só será bem sucedido se a história tiver um vínculo com os valores da marca e estiver alicerçada na verdade da empresa.

Um bom exemplo é a ação de despedida da Kombi, um veículo que saiu de linha por ser ultrapassado e inseguro, mas que graças à sua ligação emocional verdadeira com o público, construída em mais de 60 anos de mercado, permitiu a criação de uma narrativa cativante sem parecer piegas ou artificial.