Social Media

Florianópolis terá o maior festival de tecnologia, inovação, criatividade, arte, música, esportes e entretenimento do país inspirado no SXSW de Austin/Texas

Há mais de 30 anos um pequeno grupo de pessoas se reunia na sede de um periódico local para discutir o futuro do entretenimento e da mídia. Eles acreditavam que as comunidades criativas e musicais da cidade eram tão talentosas como em qualquer outro lugar do planeta, mas eram severamente limitadas pela falta de exposição no exterior. 

As conversas evoluíram para a promoção de um evento que levaria o mundo para aquele lugar, provocando uma visão melhor de perto das qualidades da cidade e daqueles talentos que ali existiam. O ano era 1986, o local era a cidade de Austin, no Texas, no sul dos Estados Unidos e o evento era o South by Southwest (SXSW), hoje na sua 33a edição, considerado um dos maiores eventos de inovação do mundo. 

Curiosamente foi também em Austin, com os mesmos propósitos que mobilizaram aquelas pessoas para colocar a capital do Texas no centro das discussões das maiores criações econômicas e tecnológicas do mundo, que um grupo de empresários catarinenses aliados a representantes do poder público de Santa Catarina, tiveram a idéia de lançar a primeira edição do Floripa Conecta, que ocorre de 9 a 18 de agosto deste ano em Florianópolis. 

O lançamento do Floripa Conecta aconteceu na sede da Dropbox em Austin e reuniu ao redor de 300 participantes, a maioria brasileiros que vivem e trabalham com criatividade e tecnologia nos Estados Unidos, além da comitiva dos organizadores do evento, empresários, jornalistas e empreendedores que estavam na cidade para o SXSW2019. O Baguete esteve presente no evento e ouviu os principais idealizadores do projeto.

Segundo Daniel Leipnitz, presidente da Associação Catarinense das Empresas de Tecnologia (ACATE), o Floripa Conecta é a realização de um sonho de três anos. 

“Um sonho de fazer alguma coisa grande, um sonho grande de mudar a nossa cidade, de pensar na nova matriz econômica que está tá transformando a cidade que é a tecnologia, a economia criativa, o design, a música e com isso nestes três últimos anos a gente vem construindo de que forma a gente poderia transformar isso em alguma coisa como Austin aqui”

Daniel Leipnitz – Presidente da ACATE

Já Rodrigo Estrázulas Rossoni, presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), justifica a participação da entidade na criação deste evento como um propósito da ACIF de prosperar não só Florianópolis, mas o Brasil, levando mais pessoas, mais investimentos e mais conexões para a cidade, o estado e o País. 

“É um evento sem dono, é um evento que tem uma união de esforços da iniciativa privada com o apoio do poder público para que a gente possa realizar algo inédito em todo o país. Com isso nós vamos trazer eventos diversificados: esporte, cultura, arte, comunicação, tecnologia, marketing, tudo o que pode ser feito sobre economia criativa vai para Florianópolis, a cidade criativa”

Rodrigo Rossoni – Presidente da ACIF 

A iniciativa do Floripa Conecta  conta também com o apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável do Estado de Santa Catarina (SDS). O Secretário de Estado Adjunto, Amandio João da Silva Jr, fez parte da missão dos empresários que estiveram em Austin em março do ano passado para conhecer os bastidores do SXSW e agora na edição deste ano para o lançamento do evento de Florianópolis.

O evento em Austin foi promovido pelo arquiteto de soluções da Dropbox, Marcel Ribas, brasileiro, também de Florianópolis, que mora na capital do Texas já há 15 anos. Segundo ele, um remanescente do novo polo tecnológico da ilha da magia, Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a missão da Dropbox é liberar a energia criativa do mundo através da criação de formas mais inteligentes de se trabalhar e o Floripa Conecta revela-se uma iniciativa ousada neste sentido dentro dos objetivos da empresa para o Brasil.

O Floripa Conecta será o primeiro festival brasileiro desta natureza com eventos simultâneos trazendo arte, música, cultura, criatividade e inovação em tecnologia para os visitantes no mesmo formato do SXSW. 

As entidades de Florianópolis já estão organizadas e engajadas para fazer esse sonho acontecer. A Rede Nacional das Associações de Inovação e Investimentos (RENAII), que reúne entidades como ABStartups, Abipti, Anjos do Brasil, Anpei, Anprotec, ABVCap, além do Sebrae (co-realizador) e organizadores locais (ACATE e Fundação Certi), irá comandar 12 eventos durante o Floripa Conecta, entre eles o Innovation Summit Brasil 2019 (12 a 14 de agosto). Nesta época também está programado a segunda edição do Startup Summit (15 e 16 de agosto) – encontro do segmento de empreendedorismo inovador e TI que espera reunir mais de 3,5 mil pessoas. 

Leipnitz revelou para nós que mais oito eventos programados para estas datas envolvendo artes, música e tecnologia estão confirmados. A expectativa do Floripa Conecta é atrair um público de 60 mil a 70 mil pessoas na primeira edição, algo muito maior do que os 700 inscritos no SXSW no primeiro evento e um caminho aparentemente bem longo se comparado aos quase meio milhão de participantes de diversas nacionalidades que embarcaram em Austin este ano.

Quando perguntado se Florianópolis tem capacidade para um evento deste tamanho o presidente da ACIF Rodrigo Rossoni afirmou que sim, principalmente em agosto quando a ilha não é enxergada como um destino e eles querem provar que sim, que Florianópolis é um destino para o ano inteiro.

A idéia dos idealizadores é fazer o mundo olhar para Florianópolis com o que a ilha tem de melhor, explorando o viés de inovação tecnológica desenvolvido nos últimos anos e aliando o seu potencial e estrutura turística à inovação, criatividade, tecnologia, arte, música, esporte, turismo e entretenimento. Assim como Austin, Floripa quer ser vista pelo mercado internacional como um dos grandes polos de criatividade tecnológica e inovação do mundo com seus melhores talentos locais valorizados.

“este é um movimento muito parecido com o que Austin conseguiu fazer nos últimos anos. Queremos estimular nossos empreendedores, atrair novas pessoas, investidores e aumentar a prosperidade de Florianópolis com conhecimento e novas experiências”, declarou Rossoni.

A cidade de Austin, que atualmente abriga empresas como IBM, DELL, Apple, Amazon, Google, Facebook, Dropbox, entre outras grandes famosas marcas inovadoras, é considerada hoje como a nova grande meca do segmento de tecnologia dos Estados Unidos. Só para se ter uma idéia, um estudo realizado pela empresa americana Spectrum Location Solutions LLC divulgado em dezembro do ano passado mostrou que 1800 empresas deixaram a California em um ano tendo como principal destino a cidade de Austin no Texas. Também em dezembro passado a Apple anunciou investimentos na ordem de U$ 1 b bilhão de dólares  na construção de uma nova sede na capital do Texas, o que deve gerar mais de 20 mil empregos na cidade.

As ambições do grupo catarinense seguem nesta direção, de tornar Floripa um dos principais centros da economia criativa do mundo com o sucesso do Floripa Conecta.

Porque integrar Inbound Marketing + Assessoria de Imprensa + Marketing de Conteúdo ajuda a vender mais e melhor.

Jeff Bezos, fundador da Amazon, uma das primeiras empresas a realizar vendas pela internet e hoje uma das maiores no mundo no segmento, afirmou determinada vez em uma de suas palestras que prestígio é aquilo que dizem da sua empresa quando você não está por perto. Ainda segundo ele, admiração, confiança, tradição e ética compõem um pacote sensorial de percepção de marca que escapa ao controle das empresas. É a reputação corporativa, aquela que da segurança ao consumidor nas suas escolhas quando vai comprar um produto ou serviço.

Ao unir o método do Inbound Marketing aos serviços de Assessoria de Imprensa e Marketing de Conteúdo é possível que esta percepção de valores não escape tanto assim ao controle das empresas. Consegue-se ainda mensurar o impacto efetivo destes serviços nas vendas, sabendo utilizá-los para vender mais e melhor, construindo resultados financeiros com reputação de marca.

Não estamos falando aqui somente de e-commerce, mas também e principalmente de vendas diretas, sejam elas para compradores profissionais, como lojistas e distribuidores (B2B), ou ao consumidor final (B2C).

E como isso acontece?
Bem, primeiro é preciso um planejamento de marketing digital onde esteja previsto a integração dos serviços de assessoria de imprensa com marketing de conteúdo dentro do método Inbound Marketing.

O que é Inbound Marketing?

É uma metodologia de marketing digital que prioriza a conversão em vendas atraindo potenciais clientes compradores da marca, produtos ou serviços através de conteúdos relevantes, que lhe sejam úteis na sua decisão de compra. Hoje tanto o consumidor final quanto o comprador profissional, pesquisam na internet antes de decidir como, onde e de que marca irão comprar. E estas pesquisas atualmente na sua maior parte são realizadas através de smartphones.

De acordo com um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira ‘Meu Bolso Feliz’, nove em cada dez consumidores brasileiros com acesso à internet assumem o hábito de fazer pesquisas online antes de realizar compras em lojas físicas. Já é possível verificar também que 60% do processo de compra já está feito quando o consumidor entra em contato com o vendedor.

Então, já que o consumidor e o comprador estão pesquisando é preciso mais do que nunca produzir e gerar conteúdo para que ele encontre suas respostas na internet, seja através da mídia da sua marca, de recomendações de veículos especializados ou matérias sobre ela, até da opinião de outros consumidores que já viveram a experiência de compra com a sua empresa.

Neste contexto é fundamental ter um site com blog full responsive  – aquele que possa abrir em qualquer tamanho de dispositivo móvel sem comprometer a navegabilidade de leitura e compreensão dos conteúdos textuais, de audio e vídeo, como também ter a estrutura destes conteúdos estrategicamente montada para o monitoramento comportamental da audiência de cada um deles, seja por mídia própria, paga ou espontânea. Para isso é preciso um software de Inbound Marketing. Aqui na Business Press nós usamos o RD Station, mas existem outros.

Os objetivos do método com esta organização de conteúdos monitorados por este software são: Atrair visitantes e seguidores, Converter em Leads os potenciais compradores (Lead é quando um seguidor visitante deixa seus dados para que a empresa possa entrar em contato com ele, enviar conteúdos via e-mail, ou até fechar uma venda), Relacionar com esses leads para o seu amadurecimento gerar oportunidades de vendas e por fim Vender.

O papel da Assessoria de Imprensa:

Neste Processo os serviços de Assessoria de Imprensa e Marketing de Conteúdo são imprescindíveis para a eficiência do Inbound Marketing porque além do conteúdo precisar ser isento e verdadeiro para gerar credibilidade é preciso cuidar da reputação da marca esclarecendo eventuais ocorrências do ponto de vista negativo e divulgando outras do ponto de vista positivo.

Uma assessoria de imprensa que entende a o papel atual dos seus serviços no universo digital, atua como uma curadora de conteúdos.

Ela é quem faz a gestão do marketing de conteúdo e planeja a comunicação nos canais adequados e com a linguagem apropriada para todos os públicos dentro do processos da jornada de compra:

AtrairConverterRelacionar e  Vender.

Após estas etapas a comunicação atua também para Fidelização.

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo tem como foco principal o engajamento do público-alvo através da criação, produção e geração de conteúdos relevantes e valiosos para ele. Então é muito importante que a marca construa um ambiente de reputação digital através destes conteúdos e também no atendimento às demandas que os conteúdos não conseguirem suprir, como através do SAC 2.0, esclarecendo todas as dúvidas e auxiliando-o no amadurecimento da compra até o momento da efetivação dela no canal mais conveniente para ele. Abaixo um outro gráfico de funil de vendas no método do Inbound Marketing.

 

A Business Press é uma agência de Inbound Marketing com expertise em assessoria de imprensa nacional e marketing de conteúdo para grandes marcas. Nós produzimos conteúdos de qualidade, estratégicos, com técnicas de SEO e voltados para a atração de seguidores, conversão em leads, geração de oportunidades e ampliação nas vendas.

Baixe aqui nosso Guia Completo de Marketing Digital para Iniciantes. Solicite um orçamento gratuito de diagnóstico do marketing digital da sua marca que nós temos uma solução sob medida para suas vendas.

 

 

Com inbound marketing sua assessoria de imprensa se torna mais efetiva.

O convencional já não basta
O método tradicional de assessoria de imprensa de produzir e enviar releases para a mídia convencional com o objetivo de obter divulgação espontânea e consolidar a reputação do cliente torna-se cada vez menos efetivo. As mudanças provocadas pela internet, principalmente no comportamento do consumo de mídia, exige mais.

Já faz algum tempo que a internet tirou o público da passividade. Ele agora dispõe de novas plataformas de consumo de informação e expõe suas opiniões sobre a marca nas redes sociais, blog ou site da empresa, muitas vezes sem nenhum filtro ou curadoria.

Neste contexto, a assessoria de imprensa é o melhor caminho para interagir com esse novo consumidor, disponibilizando conteúdos relevantes em mídia própria, espontânea e também paga, só que de forma estratégica, mais assertiva, fornecendo respostas com rapidez e tornando a empresa encontrável através das técnicas do inbound marketing.

Saiba mais sobre inbound marketing clicando aqui: Inbound Marketing – você quer vender ou ser comprado?

 

O despertar do blog

Um dos pilares do inbound marketing é o blog da marca, que é a plataforma ideal para a disponibilização de conteúdo relevante para o seu público final. O novo modelo de  assessoria de imprensa, além de criar e ser a responsável pela qualidade, pertinência e constância destas publicações, também pode ser uma poderosa aliada para ampliar seus resultados através da divulgação em grandes veículos de comunicação que potencializam seu alcance e agregam ainda mais credibilidade.

Mais sobre o tema aqui: O retorno dos blogs e sua importância na estratégia de inbound marketing das marcas

Desta forma, além de consolidar a reputação da marca, a assessoria de imprensa se integra à estratégia de captação de clientes online, contribuindo para o resultado final de vendas.

Para saber mais sobre a relação inbound marketing x vendas, acesse: Inbound Marketing para ampliar as vendas e vencer a crise

 

O sucesso desta estratégia está ligado a alguns conceitos básicos:

  • Entendimento da mecânica da venda: Os conteúdos devem estar alinhados com a forma como os clientes localizam sua empresa, produto ou serviço e quais as palavras mais utilizadas nesta busca.
  • Segmentação do público: Cada conteúdo deve ter como foco uma persona, que pode ser definida por comportamento, hierarquia, gênero, idade, etc, de acordo com as características da marca. A probabilidade de um prospect viar um lead aumenta consideravelmente se o conteúdo falar diretamente aos seus interesses.
  • Relevância para o consumidor e não para a marca: Se no mundo físico você quer respostas diretas para a solução do seu problema e não um discurso autoelogioso de quem você está pedindo ajuda, no universo online não é diferente. Por isso os conteúdos devem informar sobre os produtos ou serviços e de que forma eles podem ajudar quem está pesquisando.
  • Geração de tráfego e links de SEO: O Conteúdo deve vir acompanhado de uma oferta (ebook, catálogo, etc) que pode ser trocado por dados do lead no site da empresa e que fará com que ele avance no processo de venda. Além da construção do relacionamento, estes links beneficiarão o site frente aos mecanismos de busca.
  • Mensuração e aprimoramento: A internet é beta,sempre se adaptando e evoluindo. Por isso o conteúdo e as estratégias devem ser constantemente avaliados através do  KPI (Key Performance Indicator ou Indicador-chave de Performance) mais indicado para cada ação a ser monitorada. E, a partir destas avaliações fazer os ajustes e adequações para obter resultados cada vez melhores.

Para saber mais sobre KPIs, acesse: KPIs: como medir seus resultados em marketing digital.

 

Admirável mundo novo

A imensa quantidade de conteúdo disponível e a facilidade de acessá-lo instantaneamente em qualquer horário e local, faz com que as pessoas passem mais tempo conectadas.

Um cenário em que  a presença digital da marca ganha cada vez mais relevância, independente da sua vontade.

Ou seja, a marca já está lá. A questão é de que forma a sua reputação será conduzida e por quem.

 

Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

 

 

 

Inbound Marketing para reduzir custos, superar a crise e vender mais.

 

O cenário mudou e as estratégias precisam mudar também.

Em um cenário de retração econômica, consumo consciente e crescente presença digital, a velha estratégia de alardear suas qualidades para um grande volume de pessoas nas mídias de massa já não possui mais a mesma efetividade. Se não é sensato obter resultados diferentes fazendo as mesmas coisas, o Inbound Marketing,  focado na construção do relacionamento com os consumidores através da oferta de conteúdos relevantes, cada vez mais se consolida como a alternativa lógica para obter melhores resultados em vendas.

É verdade que estamos enfrentando uma crise, porém, mais importante do que ela, é a mudança de comportamento dos consumidores. As pessoas não querem mais ser interrompidas por uma enxurrada de mensagens de produtos e serviços que não lhes interessam. Elas estão cada vez mais tempo imersas no ambiente digital onde procuram informações sobre o que estão interessadas em consumir. As empresas que entenderam esta nova dinâmica estão se tornando “encontráveis” por estes consumidores que, ignorando as técnicas do marketing tradicional dos concorrentes, acabam chegando às suas plataformas digitais de relacionamento e conversão de vendas.

 

Quando o melhor custa menos

Se você já precisou anunciar utilizando os meios tradicionais como TV, rádio, outdoor,  jornais e revistas certamente percebeu que o investimento é alto e o retorno incerto. Além dos elevados custos de criação, produção e veiculação de uma peça publicitária, há ainda o desperdício de atingir uma grande quantidade de pessoas que não estão interessadas no que você está oferecendo ou sequer fazem parte do seu público-alvo.

No Inbound Marketing  a veiculação de conteúdo nos canais digitais e a contratação de uma campanha online custa uma fração do método convencional. Além disso, a sua mensagem possui um alcance que é potencializado pelo seu compartilhamento por quem se identifica com a marca e/ou conteúdo e, por não estar restrita aos períodos contratados das mídias tradicionais, ela permanecerá disponível nos seus canais online contribuindo para a “encontrabilidade” da sua marca, produto ou serviço.

 

A sua oferta encontrada por quem quer e pode comprar

Sim, todo mundo já sentiu no bolso a redução do consumo. Uma consequência básica disso é que, somado ao público que não está interessado, houve um aumento considerável de pessoas que não podem comprar seu produto ou serviço, tornando ainda mais dispendioso anunciar para as grandes massas.

Daí a importância de atingir quem realmente tem interesse e condições de comprar o que você quer vender. Por utilizar a estratégia de atrair em vez de oferecer, o Inbound Marketing permite que a sua oferta seja encontrada por quem possui potencial concreto (interesse e renda) de adquirí-la.

 

Resultado comprovado tem mais valor

Como já foi dito acima, um dos problemas das estratégias de divulgação focadas na utilização dos veículos de massa é a dificuldade da comprovação de resultado, sendo que muitos anunciantes sentem a angústia creditada a Lord Leverhulme:  “Eu sei que metade do meu orçamento para publicidade é desperdiçado, mas não sei  qual metade”.

 

Esta é uma vantagem significativa do Inbound Marketing: seja qual for seu objetivo, ele pode ser facilmente verificável e mensurável. Seja no engajamento de leads, no reconhecimento de autoridade, geração de mais conversões ou redução do custo por vendas, você dispõe de dados concretos em tempo real do resultado de cada iniciativa ou investimento. Desta forma é possível comprovar os acertos para estimular sua continuidade e descobrir os erros para corrigir de forma ágil e econômica o que não está dando o retorno desejado.

Você pode saber mais sobre mensuração em marketing digital neste link: http://bpress.com.br/kpis-como-medir-seus-resultados-em-marketing-digital/

 

Os últimos ganharão menos que os primeiros

No livro A Estratégia do Oceano Azul, W. Chan Kim e Renée Mauborgne ensinam como investir em mercados inexplorados, quando os melhores resultados são colhidos por quem aproveita antes que eles sejam tomados por uma concorrência predatória.

 

O Inbound Marketing, apesar de ser a grande oportunidade para o crescimento dos negócios, com potencial para proporcionar aumento da carteira de clientes e da taxa de conversão em vendas, ainda é pouco difundido no Brasil. O mais comum é a utilização de ferramentas como marketing de conteúdo, e-mail marketing ou gestão de mídias sociais de forma isolada, sem uma estratégia integrada de marketing digital.

Neste momento de crise, quem se antecipar à concorrência no mercado digital será menos atingido pelas turbulências do mercado, terá mais condições de se tornar referência para o novo consumidor e estará mais preparado para potencializar seus ganhos quando se iniciar um novo ciclo de crescimento econômico.

 

A Business Press é uma Agência de marketing digital híbrida que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa, marketing de conteúdo e design thinking. Entre em contato conosco e faça uma avaliação gratuita da sua presença online e da sua estratégia de marketing digital. 

 

 

Para melhorar as vendas seu marketing digital precisa integrar mídia própria, paga e espontânea.

O marketing digital, quando bem implementado, tanto no B2C quanto no B2B, além de impactar positivamente os simpatizantes da marca com conteúdos do seu universo de valores, alimentando-os principalmente de informações atualizadas sobre lançamentos, qualidades e diferenciais frente a concorrência, auxilia-os na identificação dos seus produtos quando a compra é oportuna, direcionando-os ao canal de vendas da sua escolha. Afinal, engajamento em mídias sociais não mede o resultado do seu marketing digital. É preciso fazer muito mais e, além de atrair, converter em lead, relacionar, acompanhar e guiar curtidores e seguidores de sua marca pela jornada de compra para obter resultados melhores de vendas.

No B2C estes canais podem ser links de lojas próprias ou parceiras da marca na internet, como também a loja física ou franquia mais próxima do consumidor. No B2B direciona-se o potencial comprador ao representante local, distribuidor ou o canal na internet de venda direta da empresa.

Para gerir bem este processo chamado de funil de vendas, é preciso implementar a metodologia de Inbound Marketing e produzir conteúdos estratégicos direcionados a todas as etapas em que os potenciais clientes passam por este funil até a venda, nutrindo-os de informações importantes para o amadurecimento da compra. Integrar o mix de mídia de forma alinhada portanto, torna-se fundamental para alcançar resultados melhores nesta empreitada. Tudo exige o conteúdo certo, no lugar certo e na hora certa.

Qual o mix de mídia ideal?

O mix de mídia ideal vai depender das variáveis de cada negócio, perfil de produto, do consumidor, do comportamento habitual de compra, etc. O certo é que ele deverá contemplar três tipos de mídia: Própria, Paga e Espontânea.

 

MÍDIA PRÓPRIA 

A mídia própria é aquela produzida pela própria empresa para disseminar seus conteúdos. No ambiente digital ela é composta pelo site da marca, blog ou canal de vídeo na web, além das mídias sociais, catálogos eletrônicos de produtos, e-books, e-magazines, newsletters, e-mail marketing, entre outras.

Nesta mídia o conteúdo editorial é determinado pela empresa e seu departamento de marketing, portanto de total liberdade para a publicação do que quiser sobre a marca e seus produtos e da maneira como achar melhor. No entanto recomenda-se que os conteúdos sejam extremamente focados no business e seus valores, obedecendo a técnicas de SEO para evoluir e ampliar o tráfego orgânico da marca e seus produtos em temas e palavras-chave ligados a eles, para que os interessados possam achá-los quando derem uma busca no Google.

Esta é a mídia mais econômica para se comunicar com os potenciais consumidores e compradores da marca, porém sozinha não oferece resultados imediatos. Eles demoram muito a chegar e por isso preciso uma mídia complementar para impulsionar os resultados.

MÍDIA PAGA

A mídia paga, como o próprio nome já diz, é aquela que compramos a publicidade, como no caso dos anúncios em sites, portais, blogs de terceiros, links patrocinados, facebook Ads, Twitter Ads, banners etc.

Neste tipo de mídia, o comprador anunciante também controla o conteúdo e a mensagem que será transmitida e ainda consegue segmentar o seu alcance, podendo filtrar posição geográfica, social, econômica e até comportamental, fazendo com que a mensagem chegue apenas ao seu público-alvo. Diferente da mídia própria, a paga chega mais rápido nos prospects, no entanto com ela seu Custo de Aquisição de Cliente (CAC) deverá subir. A integração do mix de mídia visa equilibrar este custo, ampliar o alcance e otimizar o orçamento, provocando resultados melhores.

MÍDIA ESPONTÂNEA OU GANHA

A mídia espontânea ou ganha é aquela que sua marca conquista através da sua boa reputação, verificada quando algum veiculo de mídia noticioso ou blog publica algo espontaneamente sobre ela e seus produtos de forma positiva, apresentando como novidade ou indicando o uso.

As formas de conquistar estes espaços são através de conteúdos relevantes, seja de forma orgânica, o que vai exigir sorte, ou um bom trabalho de assessoria de imprensa e relações públicas.

Os resultados podem ser aferidos por editoriais de imprensa institucionais ou de produtos, reportagens, matérias, posts em blogs especializados, SEO, inbound links, tudo de forma espontânea, sem sua marca ter que pagar pelas publicações. E como tal, está subordinada a aprovação de um editor, jornalista, blogueiro, ou até mesmo um cliente. E é esta característica que torna esta mídia de maior credibilidade, no entanto ela não depende apenas da marca.

Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

 

Como medir o resultado do seu marketing digital por custo de aquisição de clientes.

Você sabe calcular quanto gasta para adquirir cada cliente?

O custo de aquisição de cliente (CAC) é o investimento médio, calculado tempo, esforços e valores diretos, para conquistar um cliente. Se o seu marketing digital não é orientado para vendas, sejam elas online ou offline, B2B ou B2C e não faz esse cálculo, não é possível saber sua eficiência do ponto de vista financeiro no impacto das suas vendas, como tão pouco tomar decisões estratégicas para otimização de investimentos.

Muito mais importante do que o impacto alcançado nas ações pelo engajamento do número de seguidores, curtidas, comentários e compartilhamentos no site e mídias sociais da sua marca, são o custo com elas e o quanto são capazes de adquirir clientes reais para sua empresa. Se o seu marketing não faz esta conta, não é possível saber sua influência direta na conquista de clientes e se inclusive sua operação de marketing é saudável.

Mas como calcular o CAC?

Primeiro faça o cálculo de forma ampla e considere como investimento todos os gastos nas áreas de vendas e marketing da sua empresa, que são os departamentos diretamente envolvidos na aquisição de clientes e desconsidere todas as outras áreas. Depois use a mesma lógica para avaliar o marketing digital. Assim é possível ter um comparativo de todo o negócio, parcela de contribuição e desempenho de uma área e de outra com relação aos custos que cada uma tem para adquirir um cliente.

  • No marketing inclua todos os custos com o departamento: salários, ações, ferramentas, fee de fornecedores, feiras, eventos, mídia, e tudo o que for usado para expor o seu produto, gerar Leads e oportunidades para o time de vendas;
  • No setor de vendas inclua: salários, comissões, ferramentas, gastos com telefone, viagens e toda a infraestrutura usada pelos vendedores para realizar a conversão de novos clientes;
  • Novos clientes: faça o levantamento do número de novos clientes conquistados no mesmo período. No marketing digital levante somente aqueles que vieram através das ações na internet. Vale mencionar também que caso você tenha clientes que foram conquistados em outros canais não considerados no investimento, estes também não devem ser considerados na conta de novos clientes.

Então, feito este levantamento a fórmula se aplica a todo o negócio e também ao marketing digital. Englobe todos os custos e clientes e depois segmente-os por áreas: Vendas, Marketing e Marketing Digital.

Então, considerando as áreas de vendas, marketing, marketing digital e os novos clientes no período de um mês, temos a seguinte equação:

 

Pensando em marketing digital, por exemplo, se em um mês todos os seus gastos com ações somam R$ 10 mil e foram conquistados 40 clientes, seu CAC é de R$ 250,00. Este cálculo deve ser realizado sempre mês a mês, considerando os investimentos e novos clientes adquiridos através do canal aferido no período.

Calculado mês a mês, é importante no CAC considerar variações bruscas que podem ocorrer por variáveis não consideradas, como a contratação de novos vendedores, por exemplo. Neste caso o CAC aumenta, já que é bem provável que eles não tragam clientes logo no primeiro mês de trabalho. Mas com o tempo este valor volta a se estabilizar.

Feito o cálculo, o Custo de Aquisição de Clientes precisa ser menor que o valor médio do seu produto ou serviço para que o seu negócio seja considerado saudável. Isso em negócios tradicionais de vendas pontuais.

Exemplo: Se você gasta em média R$ 250,00 (como sugerimos acima) para conquistar um novo cliente. Se esse é o seu CAC, e o seu produto custa R$ 150,00, você terá um prejuízo de R$ 100,00 para cada cliente que você conquistar.

Para negócios de pagamentos recorrentes como assinaturas, o raciocínio já muda um pouco. Nestes casos, o CAC precisa ser menor que o LTV (Lifetime Value) que é mais ou menos a média de quanto cada cliente vai gastar durante toda a vida dele com você.

Exemplo: Você tem um CAC de R$ 250,00 e o cliente te paga mensalmente R$ 50,00. Mas sabendo que seus clientes ficam em média 18 meses com sua empresa, o LTV dele será de R$ 900,00. Portanto, dessa forma é possível ver que o negócio é saudável financeiramente.

Agora se o CAC estiver maior que o LTV ou Ticket Médio, é necessário agir, seja no corte de gastos, ampliar resultado, ações de retenção e fidelização no caso de negócios recorrentes, enfim decisões que reduzam o CAC.

É diante do CAC que é possível analisar quais investimentos não estão dando um bom retorno. No marketing digital, com a análise do impacto das ações é bem fácil enxergar isso e mudar de rota, tentando algo que seja mais eficiente para trazer mais clientes. Ele também auxilia nas ações offline, pois são indicadores de pesquisa no seu público-alvo. Não deixe de usar este indicativo para avaliar a eficiência do seu marketing como um todo, como também o seu marketing digital.

Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

KPIs: como medir seus resultados em marketing digital.

“O que pode ser medido pode ser melhorado” – Peter Drucker.

 

Uma das características do Marketing Digital é que ele é totalmente mensurável e todas as ações online podem ser medidas, atestadas e calculadas de acordo com o retorno obtido por cada iniciativa.

Diante de tantos dados disponíveis é de fundamental importância definir o KPI (Key Performance Indicator ou Indicador-chave de Performance) mais indicado para cada ação a ser monitorada. Com os KPIs corretos é possível avaliar os resultados de todas as etapas de uma estratégia de marketing digital em um período e frequência determinados.

A premissa básica é que os KPIS sejam relevantes para o objetivo  da empresa, já que indicadores errados provavelmente mostrarão performances erradas, comprometendo a avaliação da estratégia.

 

Características de um bom KPI:

  • Ter relação direta com o objetivo proposto

Os indicadores escolhidos devem mostrar claramente se as ações estão obtendo resultado. O número de curtidas em uma página não é tão relevante para o objetivo de aumento de vendas, por exemplo.

  • Ser de fácil compreensão e mensuração

Todos os envolvidos devem compreender de forma inequívoca os dados que os indicadores estão mostrando, sem margens para interpretações ambíguas.

  • Ser útil de forma contínua

Um bom KPI deve contribuir para a melhora continua da empresa, fornecendo informações que permitam o ajuste dos processos na busca dos seus objetivos.

 

KPIs x objetivos:

A utilização de indicadores totalmente desvinculados dos objetivos da empresa, além de comprometer a avaliação da estratégia de marketing digital, pode gerar frustração e questionamentos sobre a sua efetividade. Abaixo relacionamos alguns exemplos de KPIs relacionados com alguns objetivos possíveis de marketing digital:

  • Fidelização/Engajamento

Número de curtidas, compartilhamentos e comentários dos posts nas redes sociais, quantidade de páginas visitadas no site e taxa de rejeição destas páginas são KPIs válidas para este objetivo que está relacionado às interações do público com a empresa.

  • Reconhecimento de autoridade

Curtidas no Facebook, seguidores no Twitter e visitas no site ou no blog são indicadores que comprovam a presença da marca na mente das pessoas.

  • Conversões

Se o objetivo da empresa é gerar mais conversões e reduzir o custo por venda, podem ser utilizados os seguintes KPIs: número de leads gerados, tempo para a efetivação de uma venda, número total de vendas e custo de aquisição de clientes (CAC).

  • Presença / Cobertura

Neste caso, basicamente o que precisa ser respondido é a quantidade de pessoas que estão sendo alcançadas com nossos posts em redes sociais, artigos de um blog, views de  imagens no Instagram, vídeos no YouTube ou Vimeo, etc.

  • Captação

O monitoramento da captação nas redes sociais exigirá tags com valores reconhecidos pela ferramenta de análise web em todas as mensagens e campanhas. Desta forma é possível medir seus efeitos sobre o tráfego e suas conversões.

Também é possível incluir um valor de referência financeira para a visualização de uma estimativa de ROI, tendo como base o custo médio por visita gerado por campanhas como o Google Adwords ou anúncios no Facebook por exemplo.

  • Retenção de clientes

A manutenção da proximidade do consumidor buscando garantir o sucesso e ampliar as chances de novas compras podem ser medidas através de indicadores como: Tickets de suporte e  Estimativa do Lifetime Value (valor gasto pelo cliente com a empresa no decorrer do ciclo de vida e de compra).

  • Geração de novos leads

A obtenção de dados através de troca por conteúdo relevante na forma de e-books, infográficos, etc pode ser monitorada com o levantamento do número de leads gerados e o custo por lead.

  • Aumento de vendas

Indicado para quem trabalha com e-commerce, as KPIs que indicam o sucesso da estratégia para aumento de vendas podem ser: número de vendas, custo por venda (no caso de links patrocinados, por exemplo) e taxa de conversão.

 

O inbound marketing  permite o rastreamento de um grande volume de dados que podem gerar relatórios volumosos a cada mês. Por isso é de grande importância saber o que rastrear, como refinar os relatórios analíticos e identificar os KPIs que são efetivamente relevantes. E, o mais importante, que comprovem o ROI e não somente a popularidade.

A Business Press é uma Agência de marketing digital híbrida que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa, marketing de conteúdo e design thinking. Entre em contato conosco e faça uma avaliação gratuita da sua presença online e da sua estratégia de marketing digital.

Como obter mais conversão em vendas com palavras-chave de cauda longa.

Quer vender mais? Que tal ser encontrado no Google por quem deseja consumir?

 

Quando elaboramos a estratégia de marketing de conteúdo com foco em vendas, a primeira ideia que temos que ter em mente é que precisamos ser facilmente encontrados por quem está interessado em consumir o que pretendemos vender.

A elaboração de conteúdo visando rankeamento no Google com base somente nas palavras Head Tail é um equívoco, já que as palavras genéricas ou populares sofrem grande concorrência, além de atrair muitas pessoas que não estão interessadas no seu produto ou serviço. Outra questão importante é que o robô do Google identifica se o site tem palavras-chave do mesmo campo semântico entre as outras palavras relacionadas.

Daí a importância da utilização de palavras-chave de cauda longa, já que, além de possuir menor procura, reforçando a busca e atraindo público qualificado e de nicho com maior chance de conversão, elas possibilitam melhor rankeamento.

cauda longa

 

Vantagens da utilização de palavras-chave de cauda longa:

 

Melhora na competição pela busca

Palavras muito populares na busca sofrem uma competição muito maior. O termo “restaurante” compete com milhares de estabelecimentos que o utilizam. Em contrapartida, “cozinha tailandesa” melhoraria significativamente o seu posicionamento.

Maior chance de conversão

A busca por uma palavra-chave principal indica menor decisão de compra por parte de um potencial cliente (exemplo: tênis) do que alguém que utilize palavras-chave de cauda longa na sua pesquisa. (exemplo: tênis para running em Porto Alegre). Quanto mais específica a pesquisa, maior a possibilidade de que o pesquisador esteja inclinado a efetuar a compra, indicando que as chances de conversão são maiores.

Aumento da reputação do site

O incremento da reputação do site através das palavras-chave de cauda longa acontece porque, através delas, aumentam as chances dele se tornar reconhecido como especialista pelo Google, resultando em um melhor posicionamento no resultado de busca.

 

BOC

 

Saiba com quem você está falando

De acordo com o escopo do seu site, pesquise sobre a sua persona e descubra as expressões que ela mais utiliza nas suas buscas. Assim você terá mais assertividade na hora de escolher palavras-chave que realmente atraiam quem você deseja atingir.

Genérico só medicamento

Palavras-chave genéricas atraem muitos pesquisadores que não lhe interessam. Por exemplo: se você tem uma pet shop, é melhor utilizar “gato siamês para adoção” do que simplesmente a palavra “gato”, que pode atrair quem esteja buscando um garoto bonito famoso.

O valor dos sinônimos

Formas diferentes de dizer as mesmas coisas ampliam as possibilidades de se tornar um resultado de pesquisa no Google já que atinge pessoas que se expressam de forma diversa.

Keyword na medida certa

Pesquisas realizadas pelo site Search Engine Watch, demonstram que palavras que possuam entre 11 e 20 caracteres obtem melhores resultados.

 

Em resumo, a tentativa de focar no interesse da maioria das pessoas é uma dispersão de esforços com alto custo e com resultados limitados. A criteriosa elaboração de palavras-chave de cauda longa possibilita atingir um grande número de possíveis consumidores com interesse específico no que você está comercializando.

A Business Press é uma Agência de marketing digital híbrida que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa, marketing de conteúdo e design thinking. Entre em contato conosco e faça uma avaliação gratuita da sua presença online e da sua estratégia de marketing digital.

 

 

O retorno dos blogs e sua importância na estratégia de inbound marketing das marcas

Quando os blogs viraram febre, há mais ou menos uns seis ou sete anos, todas as marcas queriam surfar a nova onda. Criar o site da empresa com um blog se tornava praticamente uma obrigatoriedade, mas que os departamentos de marketing, tomados pelas demandas tradicionais do dia a dia não sabiam, e muitos ainda não sabem como utilizá-lo, tanto como estratégia de marketing como de vendas.

Um pouco da história da febre dos blogs neste contexto

O Blog era uma novidade e a verdade é que ninguém sabia mesmo ao certo a forma mais eficiente e profissional de gerar resultados através dele. Nós da Business Press, naquela época ainda atuantes somente como assessoria de imprensa, ficamos um tanto quanto apreensivos, pois eram novos espaços com audiências surpreendentes, mas em sua maioria com credibilidade duvidosa. Da mesma forma, os clientes queriam estar lá, fosse criando o próprio blog em sua página na internet, tentando elevar de alguma forma a audiência do seu site, ou mesmo pegando carona na audiência destes blogueiros, que surgiram fazendo sucesso.

 

Frase do dia do Blog Shame

Frase do dia do Blog Shame https://blogueirashame.wordpress.com

O problema era que além do surgimento de blogs profissionais com elevada audiência, mas que cobravam igual ou mais do que uma mídia tradicional, seja para fixar um banner ou fazer um publieditorial, surgiram também os que trocavam posts por produtos. E aqueles que apresentavam o mídia kit praticamente vendendo o editorial, faziam isso sem informar ao seu leitor do espaço comercial. Tinham também os que a audiência era conquistada com sorteios de produtos e os que concentravam os sorteios da web no seu blog como um serviço, para elevar a audiência da sua página e atrair anunciantes. Tinha de tudo. E em consequência disso, surgiram até blogs contestando estas reputações conquistadas com audiência, como o da blogueira Shame, com a proposta de promover uma reflexão sobre os conteúdos publicados nos blogs, denunciando posts publicitários não identificados. Ela se tornou um sucesso e marcou a principal interrogação desta febre.

O fato é que os números mensuráveis de audiência atraíam os departamentos de marketing, carentes por resultados mais efetivos, de impacto nas vendas, ou ao menos com números que justificassem o ROI – Return on Investment. Neste momento, o número de seguidores passou a pautar as investidas das marcas em blogs e até certo ponto, de forma generalizada, tornou-se um parâmetro utilizado até hoje por muitas empresas. Afinal, no comparativo com a mídia tradicional, além de confirmar o número de pessoas impactadas em tempo real, era possível saber quem eram elas, e isso já era uma evolução.

Com o tempo o mercado filtrou os melhores blogs, que consolidaram-se como mídia digital. E o seu boom, como toda febre, passou, dando lugar às mídias sociais. Então as empresas começaram a questionar a importância do blog na estratégia de marketing digital de suas marcas e produtos, “já que todo mundo estava no Facebook”.

Hoje é muito comum ver sites que não usam blogs. É muito mais fácil e cômodo para as empresas atualmente, utilizarem uma Fanpage no Facebook ou um perfil no Instagram. Uma fanpage traz além da vantagem de ampliar a própria audiência, a possibilidade de saber não só exatamente quem são os seguidores da marca, como nos blogs, mas seus hábitos, preferências e comportamentos. Só que não revela quais e quantos destes seguidores estão prontos para comprar os seus produtos ou serviços em qualquer um dos seus canais de venda, seja online ou em uma loja física. A não ser que este seguidor se manifeste. Ainda assim, ele pode estar em dúvida entre a sua marca e outra concorrente que ele também segue nas mídias sociais.

É neste cenário que cresce o método de gestão Inbound Marketing, que hoje une marketing e tecnologia para gerir de forma integrada e enxuta todos os canais digitais de uma marca. Nele o Blog é a espinha dorsal e tem função fundamental na estratégia que integra site, blog, mídias sociais, técnicas de SEO do Google, publicidade online e mail marketing.

E o que é Inbound Marketing? Qual a importância do blog na sua estratégia?
Inbound marketing (marketing de atração ou marketing de permissão) é um método inovador que rompe com os antigos conceitos de marketing de interrupção – aquele que te interrompe em algum momento do seu dia, muitas vezes em horas inadequadas para te oferecer um produto ou serviço (no seu e-mail, por telefone, no meio do seu programa de tv favorito, na leitura de um artigo etc.)

O Inbound cresce porque houve uma mudança muito brusca no comportamento de compra com o crescimento do acesso a internet, principalmente via mobile. As pessoas estão buscando informações no Google sobre produtos e serviços com muito mais intensidade. Hoje, 65% das compras são decididas em pesquisas na internet e é por isso que os blogs voltaram com tanta importância, para cumprir o papel de auxílio nesta decisão.

Uma empresa que tenha um blog com informações úteis e uma estratégia de marketing de conteúdo baseada naquilo que o seu seguidor e potencial consumidor está buscando, tem muito mais chances de ampliar as suas vendas do que aquele concorrente que não tem. E melhor, entregando aquilo que o consumidor está buscando e não forçando uma venda, que sabemos pode ter consequências negativas.

É uma nova visão de marketing e de trabalho, que se baseia em ganhar o interesse das pessoas e fazer com que seus potenciais clientes te encontrem e lhe procurem. O velho marketing, chamado de Outbound marketing, é aquela tática que conhecemos que busca oferecer os seus produtos ou serviços para o público em geral. O Inbound faz exatamente o contrário, seu objetivo é atrair os potenciais clientes até a empresa, fazer com que eles te encontrem, se comunicar com eles, entender suas necessidades, ajudá-los e por fim, encantá-los.

Método de Inbound Marketing

Método de Inbound Marketing

A ideia básica é agregar valor e ser relevante para que os assinantes apareçam. Em termos de tática, a melhor maneira de começar a gerar oportunidades com o inbound marketing é iniciar um blog e criar conteúdo de boa qualidade e fácil detecção. Esse blog vai ser responsável pela, digamos assim, “biblioteca” de conteúdos da sua marca e de seus produtos, com todas as defesas, benefícios e utilidades que ele oferece. Estes conteúdos no entanto devem ser estratégicos e entregar aos seus seguidores a resposta que eles procuram.

A Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

Como impulsionar seu marketing digital para resultados

Fazer girar a roda dos resultados na execução do marketing digital da sua empresa é um desafio que parece um tanto quanto difícil, mas não é. No início pode até ser, afinal, todo o começo é difícil, exige um esforço extra, leva um determinado tempo até engrenar, é verdade, mas depois que ela começa a girar, tudo se movimenta bem mais fácil.

 

É como fazer um enorme esforço para iniciar o giro de uma roda propulsora, daquelas bem grandes em que é difícil de alcançar o primeiro movimento, mas depois de começar a rodar e ganhar ritmo, gira praticamente sozinha. Para este grande esforço no movimento de evolução da roda dos resultados, existe um conceito próprio do marketing digital chamado de Flywheel Marketing, ou Marketing de Impulso. E é com ele que você vai impulsionar os resultados de marketing digital da sua empresa.

 

Para iniciar, entenda que uma estratégia bem montada de marketing digital já tem por si só a característica flywheel, ou seja, precisa de um impulso para fazer a roda girar sozinha. No começo os resultados são difíceis de acontecer, ranquear as primeiras palavras-chave no Google, ganhar os primeiros links, alcançar as primeiras curtidas no Facebook, seguidores no Twitter, criar uma boa base de leads, mas com impulso em todas elas, a roda dos resultados começa a girar.

 

Neste início você pode até se frustrar ao parecer que todos os seus esforços não estão dando certo, mas não é por aí. A roda não vai girar sem esforço e, no princípio, o fundamental é ter paciência e perseverança até impulsioná-la. Aí você vai me perguntar: Qual o tamanho do esforço essencial para girar essa roda? Bem, nós temos três regras essenciais, baseadas em experiências práticas bem sucedidas de especialistas na área, que foram fundamentais para criar o conceito de Flywheel Marketing, e que utilizamos na Resultados Digitais com muito sucesso também. São elas:

 

Invista mais e por mais tempo

O investimento em busca paga e orgânica no Google é um ótimo exemplo. Sem dúvida, investir em anúncios do Google Adwords trarão um resultado mais rápido do que conseguir uma boa posição na busca orgânica. Porém, se você investir em seu site, nas palavras-chave corretas, bons títulos e outros detalhes, com o tempo você estará bem posicionado na busca orgânica, terá autoridade no seu segmento de atuação e atrairá cliques sem ter que pagar por eles. Fazer um investimento a longo prazo pode não ser muito animador no começo, mas certamente trará resultados.

 

Esteja disposto a investir, experimentar e aceitar falhas

Falhas em estratégia de marketing digital podem indicar um novo caminho. Quando os resultados não aparecem logo, é possível avaliar o curso e tentar novas estratégias que podem dar certo. As respostas no marketing digital são em tempo real, o que ajuda a evitar o desperdício de tempo, esforço e dinheiro no que não está dando certo. No entanto é preciso experimentar, correr o risco para ter estas respostas. Então, as falhas fazem parte do processo de aperfeiçoamento da estratégia, da lapidação dela. Algumas alternativas testadas podem até trazer um resultado inesperado. Você não vai saber se não tentar.

Aprenda a encontrar o conceito de impulso (Flywheel) em tudo

O marketing de impulso funciona em todos os canais digitais da sua estratégia, pode acreditar. Depois de entender o conceito e aplica-lo, você vai usá-lo em outras áreas. Uma boa campanha de Adwords, por exemplo, funciona também por meio desse conceito: quanto mais pessoas clicam nos anúncios, mais sua marca torna-se referência e o custo por clique (CPC) tende a cair. O Remarketing também segue esse padrão: quanto mais pessoas visitam seu site, mais você pode alcançá-las com anúncios, e com o aumento da conversão, mais você vai investir. O investimento em branding, assim como construir um bom relacionamento com outros sites e ter facilidade em conseguir links também são boas dicas de onde o conceito pode ser aplicado.

 

 

 

Aplicar o conceito do Flywheel Marketing, com certeza vai ajudar na construção da reputação online de sua empresa e impulsionar a roda dos resultados da sua estratégia de marketing digital.

 

Flywheel Marketing BpressComo você pode ver na figura, o conteúdo da sua empresa está no centro de tudo, seguido pela objetividade na mensagem e sua audiência. Depois a participação, discussão, engajamento e lealdade. Sempre criando, publicando, promovendo, monitorando e analisando para encontrar assertividade. Assim ela gira e com o tempo cada vez mais rápida e com menos esforço.

 

Listo ainda cinco passos essenciais como sugestão para auxiliar no esforço de impulsão da roda dos resultados.

 

  • Definir uma estratégia de longo prazo focada na ajuda dos clientes em todas as etapas de compra: durante a pesquisa de compra, o processo de compra e no pós-venda.

 

  • Não desistir. Ser paciente e cumprir cada tarefa mesmo quando os resultados não aparecerem.

 

  • Perseverança e comprometimento são propulsores de resultados. Estratégias como SEO, não apresentam resultados imediatos. É preciso persistir.

 

  • Investir em conteúdo informativo e verdadeiramente útil, em diversos formatos (texto, imagens e vídeo) e que seja fácil de ser compartilhado.

 

  • Criar relacionamento transparente com seu público em todos os canais. Se bem sucedido, a longo prazo, seus consumidores serão os responsáveis pelas conversas sobre sua marca e produtos.

A Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial