Storytelling

Florianópolis terá o maior festival de tecnologia, inovação, criatividade, arte, música, esportes e entretenimento do país inspirado no SXSW de Austin/Texas

Há mais de 30 anos um pequeno grupo de pessoas se reunia na sede de um periódico local para discutir o futuro do entretenimento e da mídia. Eles acreditavam que as comunidades criativas e musicais da cidade eram tão talentosas como em qualquer outro lugar do planeta, mas eram severamente limitadas pela falta de exposição no exterior. 

As conversas evoluíram para a promoção de um evento que levaria o mundo para aquele lugar, provocando uma visão melhor de perto das qualidades da cidade e daqueles talentos que ali existiam. O ano era 1986, o local era a cidade de Austin, no Texas, no sul dos Estados Unidos e o evento era o South by Southwest (SXSW), hoje na sua 33a edição, considerado um dos maiores eventos de inovação do mundo. 

Curiosamente foi também em Austin, com os mesmos propósitos que mobilizaram aquelas pessoas para colocar a capital do Texas no centro das discussões das maiores criações econômicas e tecnológicas do mundo, que um grupo de empresários catarinenses aliados a representantes do poder público de Santa Catarina, tiveram a idéia de lançar a primeira edição do Floripa Conecta, que ocorre de 9 a 18 de agosto deste ano em Florianópolis. 

O lançamento do Floripa Conecta aconteceu na sede da Dropbox em Austin e reuniu ao redor de 300 participantes, a maioria brasileiros que vivem e trabalham com criatividade e tecnologia nos Estados Unidos, além da comitiva dos organizadores do evento, empresários, jornalistas e empreendedores que estavam na cidade para o SXSW2019. O Baguete esteve presente no evento e ouviu os principais idealizadores do projeto.

Segundo Daniel Leipnitz, presidente da Associação Catarinense das Empresas de Tecnologia (ACATE), o Floripa Conecta é a realização de um sonho de três anos. 

“Um sonho de fazer alguma coisa grande, um sonho grande de mudar a nossa cidade, de pensar na nova matriz econômica que está tá transformando a cidade que é a tecnologia, a economia criativa, o design, a música e com isso nestes três últimos anos a gente vem construindo de que forma a gente poderia transformar isso em alguma coisa como Austin aqui”

Daniel Leipnitz – Presidente da ACATE

Já Rodrigo Estrázulas Rossoni, presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), justifica a participação da entidade na criação deste evento como um propósito da ACIF de prosperar não só Florianópolis, mas o Brasil, levando mais pessoas, mais investimentos e mais conexões para a cidade, o estado e o País. 

“É um evento sem dono, é um evento que tem uma união de esforços da iniciativa privada com o apoio do poder público para que a gente possa realizar algo inédito em todo o país. Com isso nós vamos trazer eventos diversificados: esporte, cultura, arte, comunicação, tecnologia, marketing, tudo o que pode ser feito sobre economia criativa vai para Florianópolis, a cidade criativa”

Rodrigo Rossoni – Presidente da ACIF 

A iniciativa do Floripa Conecta  conta também com o apoio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável do Estado de Santa Catarina (SDS). O Secretário de Estado Adjunto, Amandio João da Silva Jr, fez parte da missão dos empresários que estiveram em Austin em março do ano passado para conhecer os bastidores do SXSW e agora na edição deste ano para o lançamento do evento de Florianópolis.

O evento em Austin foi promovido pelo arquiteto de soluções da Dropbox, Marcel Ribas, brasileiro, também de Florianópolis, que mora na capital do Texas já há 15 anos. Segundo ele, um remanescente do novo polo tecnológico da ilha da magia, Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a missão da Dropbox é liberar a energia criativa do mundo através da criação de formas mais inteligentes de se trabalhar e o Floripa Conecta revela-se uma iniciativa ousada neste sentido dentro dos objetivos da empresa para o Brasil.

O Floripa Conecta será o primeiro festival brasileiro desta natureza com eventos simultâneos trazendo arte, música, cultura, criatividade e inovação em tecnologia para os visitantes no mesmo formato do SXSW. 

As entidades de Florianópolis já estão organizadas e engajadas para fazer esse sonho acontecer. A Rede Nacional das Associações de Inovação e Investimentos (RENAII), que reúne entidades como ABStartups, Abipti, Anjos do Brasil, Anpei, Anprotec, ABVCap, além do Sebrae (co-realizador) e organizadores locais (ACATE e Fundação Certi), irá comandar 12 eventos durante o Floripa Conecta, entre eles o Innovation Summit Brasil 2019 (12 a 14 de agosto). Nesta época também está programado a segunda edição do Startup Summit (15 e 16 de agosto) – encontro do segmento de empreendedorismo inovador e TI que espera reunir mais de 3,5 mil pessoas. 

Leipnitz revelou para nós que mais oito eventos programados para estas datas envolvendo artes, música e tecnologia estão confirmados. A expectativa do Floripa Conecta é atrair um público de 60 mil a 70 mil pessoas na primeira edição, algo muito maior do que os 700 inscritos no SXSW no primeiro evento e um caminho aparentemente bem longo se comparado aos quase meio milhão de participantes de diversas nacionalidades que embarcaram em Austin este ano.

Quando perguntado se Florianópolis tem capacidade para um evento deste tamanho o presidente da ACIF Rodrigo Rossoni afirmou que sim, principalmente em agosto quando a ilha não é enxergada como um destino e eles querem provar que sim, que Florianópolis é um destino para o ano inteiro.

A idéia dos idealizadores é fazer o mundo olhar para Florianópolis com o que a ilha tem de melhor, explorando o viés de inovação tecnológica desenvolvido nos últimos anos e aliando o seu potencial e estrutura turística à inovação, criatividade, tecnologia, arte, música, esporte, turismo e entretenimento. Assim como Austin, Floripa quer ser vista pelo mercado internacional como um dos grandes polos de criatividade tecnológica e inovação do mundo com seus melhores talentos locais valorizados.

“este é um movimento muito parecido com o que Austin conseguiu fazer nos últimos anos. Queremos estimular nossos empreendedores, atrair novas pessoas, investidores e aumentar a prosperidade de Florianópolis com conhecimento e novas experiências”, declarou Rossoni.

A cidade de Austin, que atualmente abriga empresas como IBM, DELL, Apple, Amazon, Google, Facebook, Dropbox, entre outras grandes famosas marcas inovadoras, é considerada hoje como a nova grande meca do segmento de tecnologia dos Estados Unidos. Só para se ter uma idéia, um estudo realizado pela empresa americana Spectrum Location Solutions LLC divulgado em dezembro do ano passado mostrou que 1800 empresas deixaram a California em um ano tendo como principal destino a cidade de Austin no Texas. Também em dezembro passado a Apple anunciou investimentos na ordem de U$ 1 b bilhão de dólares  na construção de uma nova sede na capital do Texas, o que deve gerar mais de 20 mil empregos na cidade.

As ambições do grupo catarinense seguem nesta direção, de tornar Floripa um dos principais centros da economia criativa do mundo com o sucesso do Floripa Conecta.

Com inbound marketing sua assessoria de imprensa se torna mais efetiva.

O convencional já não basta
O método tradicional de assessoria de imprensa de produzir e enviar releases para a mídia convencional com o objetivo de obter divulgação espontânea e consolidar a reputação do cliente torna-se cada vez menos efetivo. As mudanças provocadas pela internet, principalmente no comportamento do consumo de mídia, exige mais.

Já faz algum tempo que a internet tirou o público da passividade. Ele agora dispõe de novas plataformas de consumo de informação e expõe suas opiniões sobre a marca nas redes sociais, blog ou site da empresa, muitas vezes sem nenhum filtro ou curadoria.

Neste contexto, a assessoria de imprensa é o melhor caminho para interagir com esse novo consumidor, disponibilizando conteúdos relevantes em mídia própria, espontânea e também paga, só que de forma estratégica, mais assertiva, fornecendo respostas com rapidez e tornando a empresa encontrável através das técnicas do inbound marketing.

Saiba mais sobre inbound marketing clicando aqui: Inbound Marketing – você quer vender ou ser comprado?

 

O despertar do blog

Um dos pilares do inbound marketing é o blog da marca, que é a plataforma ideal para a disponibilização de conteúdo relevante para o seu público final. O novo modelo de  assessoria de imprensa, além de criar e ser a responsável pela qualidade, pertinência e constância destas publicações, também pode ser uma poderosa aliada para ampliar seus resultados através da divulgação em grandes veículos de comunicação que potencializam seu alcance e agregam ainda mais credibilidade.

Mais sobre o tema aqui: O retorno dos blogs e sua importância na estratégia de inbound marketing das marcas

Desta forma, além de consolidar a reputação da marca, a assessoria de imprensa se integra à estratégia de captação de clientes online, contribuindo para o resultado final de vendas.

Para saber mais sobre a relação inbound marketing x vendas, acesse: Inbound Marketing para ampliar as vendas e vencer a crise

 

O sucesso desta estratégia está ligado a alguns conceitos básicos:

  • Entendimento da mecânica da venda: Os conteúdos devem estar alinhados com a forma como os clientes localizam sua empresa, produto ou serviço e quais as palavras mais utilizadas nesta busca.
  • Segmentação do público: Cada conteúdo deve ter como foco uma persona, que pode ser definida por comportamento, hierarquia, gênero, idade, etc, de acordo com as características da marca. A probabilidade de um prospect viar um lead aumenta consideravelmente se o conteúdo falar diretamente aos seus interesses.
  • Relevância para o consumidor e não para a marca: Se no mundo físico você quer respostas diretas para a solução do seu problema e não um discurso autoelogioso de quem você está pedindo ajuda, no universo online não é diferente. Por isso os conteúdos devem informar sobre os produtos ou serviços e de que forma eles podem ajudar quem está pesquisando.
  • Geração de tráfego e links de SEO: O Conteúdo deve vir acompanhado de uma oferta (ebook, catálogo, etc) que pode ser trocado por dados do lead no site da empresa e que fará com que ele avance no processo de venda. Além da construção do relacionamento, estes links beneficiarão o site frente aos mecanismos de busca.
  • Mensuração e aprimoramento: A internet é beta,sempre se adaptando e evoluindo. Por isso o conteúdo e as estratégias devem ser constantemente avaliados através do  KPI (Key Performance Indicator ou Indicador-chave de Performance) mais indicado para cada ação a ser monitorada. E, a partir destas avaliações fazer os ajustes e adequações para obter resultados cada vez melhores.

Para saber mais sobre KPIs, acesse: KPIs: como medir seus resultados em marketing digital.

 

Admirável mundo novo

A imensa quantidade de conteúdo disponível e a facilidade de acessá-lo instantaneamente em qualquer horário e local, faz com que as pessoas passem mais tempo conectadas.

Um cenário em que  a presença digital da marca ganha cada vez mais relevância, independente da sua vontade.

Ou seja, a marca já está lá. A questão é de que forma a sua reputação será conduzida e por quem.

 

Business Press é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

 

 

 

Marketing de conteúdo é extrair a essência das marcas

Quando nosso grande parceiro e fornecedor de fotografia Tamires Kopp nos apresentou o projeto Arrieros – Un Documental, ficamos encantados com a densidade do conteúdo, sua riqueza histórica e não pudemos deixar de associá-lo a um grande cliente nosso de logística, a MultiArmazens.

Arriero, na linguagem do homem do campo argentino significa “condutor de animais”, e foi no lombo destes animais, especificamente mulas que, ainda durante o período colonial, construíram-se as rotas andinas de comércio e transporte entre Argentina e Chile. E o mais impressionante neste contexto, é que essa história segue viva nos dias de hoje, com o transporte através de mulas ainda intenso no Parque Provincial Aconcágua, feito por arrieros descendentes, mantendo a tradição da profissão de logística mais antiga que se tem registro na América do Sul. Um ícone histórico da cultura dos pampas, que já foi até tema de Walt Disney em um de seus longa-metragens.Arreio Un Documental

A idéia de um documentário sobre esta profissão logística casou perfeitamente com o momento de vanguarda da Multi Armazens, investindo em ações ousadas de branding e marketing de conteúdo no intuito de valorizar os avanços tecnológicos e diferencias conquistados pela marca em seu segmento no país, tão tradicional e conservador em comunicação e marketing. Entre as novidades da Multi Armazéns, a instalação de um escritório em Buenos Aires e novas rotas para aquele país, Uruguai e Chile.

Conectamos então a Multi Armazéns a esse documentário fantástico captando a essência da marca em um conteúdo valoroso, de altíssima qualidade, premium, ligado ao seu negócio, sua importância e impacto cultural. A Multi apoiou o projeto curiosamente na parte da logística, para o grupo TerraMar, produtor do documentário, ir até a Argentina captar as imagens. A qualidade deste belíssimo trabalho vocês podem acompanhar no trailer de lançamento abaixo.

Para a Business Press, Marketing de Conteúdo é extrair a essência das marcas, conectando pontos de interesse, e isso, modéstia parte, nós fazemos bem.

Business Press é uma agência de marketing digital, que desenvolve estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo.

Como obter resultados mais efetivos com storytelling.

Uma boa narrativa é só o começo da história.

Esta é uma cena cada vez mais comum: antes mesmo de sairmos da cama, pegamos nossos smartphones e já começamos a sofrer um bombardeio diário de informações recheadas de ofertas de produtos e serviços.

A questão é que a maioria das pessoas cria mecanismos de defesa que reduzem a eficiência das abordagens tradicionais. Daí se percebe a importância do storytelling, já que uma boa história desde sempre é um dos melhores recursos para ganhar a atenção de alguém.

Mas para que o storytelling traga resultados mais efetivos, esta história precisa:

  • Ser uma narrativa única que crie uma relação de proximidade com o cliente;
  • Revelar a grande vantagem que a empresa, produto ou serviço traz para a sua vida;
  • Partir de fatos da própria empresa, que deverão ser reorganizados dentro do contexto de uma trama de forma a se obter uma história;
  • Possuir significados emocionais que devem ser inseridos no contexto da trama.

E, mesmo sendo possível utilizar blogs, filmes, canais sociais e multimedia para contar uma história, ela deve ser adaptada para cada meio, já que cada um deles provoca reações diferentes no público. Daí surge o conceito Transmidia Storytelling que é o ato de contar histórias complementares em diferentes mídias, porém com narrativas distintas.  O segredo é ter consciência de qual história deve ser contada em qual meio.

Além disso, o storytelling é uma metodologia que envolve uma série de técnicas para a construção do universo ficcional, a evolução da narrativa, o desenvolvimento dos personagens e os “ganchos” que prendem a atenção do público. E a atenção é o bem mais valioso da audiência.

O Storytelling é uma técnica que pode ser aplicada na estratégia de marketing de conteúdo. Um bom conteúdo, verdadeiro, útil e bem contado, torna-se referência e é fundamental para a obtenção de resultados mais efetivos em assessoria de imprensa e o marketing digital.

A Business Press, além de contar histórias fantásticas alinhadas com a essência das marcas, é uma agência de marketing digital híbrida, que cria, desenvolve e executa estratégias de inbound marketing, assessoria de imprensa e marketing de conteúdo. Entre em contato conosco, faça uma avaliação gratuita da sua presença online e da sua estratégia de marketing digital.

 

 

 

Gatilho: o poder de acionar a lembrança da marca.

É melhor ficar em evidência por mais tempo do que gerar um buzz que se esgote rapidamente.

Mesmo sem perceber, em nossos contatos com amigos, colegas e parentes comentamos sobre marcas e produtos dizendo coisas positivas ou negativas sobre eles. Falamos do bistrô descolado que descobrimos, do nosso novo celular ou daquela promoção imperdível de uma forma tão natural que nem nos damos conta.

E todos concordam que falaremos mais de uma novidade ou de uma coisa impactante do que de algo que seja trivial e sem graça. Afinal, uma viagem à Disney é bem mais interessantes do que um pote de margarina, não é mesmo?

Mas por outro lado, apesar da Disney causar um impacto permanente em quem a visita e de ser uma boa moeda social que agrega valor à quem está falando, este é um assunto que  não vem à mente com muita frequência. Ou seja, no cotidiano da maioria das pessoas não existem muitos gatilhos mentais que às conectem à Disney.

Em compensação, produtos com gatilhos frequentes são mais lembrados. Mesmo um produto comum  como um carro rende porque cada vez que o dirigimos ou vemos um modelo similar no estacionamento do supermercado o gatilho é acionado. E esses gatilhos aumentam a chance de que falemos sobre ele ao longo do tempo.

Para a maioria dos produtos ou ideias, é mais importante ficar em evidência por mais tempo do que gerar um buzz que se esgote rapidamente. Se você for encontrar seus amigos com uma roupa extravagante será o assunto do momento, mas o tema provavelmente já terá se esgotado no dia seguinte. Porém, se você comunicar que resolveu começar a praticar exercícios, certamente os comentários sobre esse novo comportamento se prolongarão indefinidamente.

Em resumo, além de criar um conteúdo surpreendente, é fundamental que ele seja ativado pelo ambiente cotidiano do público-alvo com um gatilho forte, que provoque o comentário, a escolha e o uso. A Moeda Social faz as pessoas falarem, mas os gatilhos fazem com que elas continuem falando.

A Business Press coloca marcas em evidência utilizando ferramentas de assessoria de imprensa, plataformas de conteúdos digitais, estratégias de marketing de conteúdo, storytelling, social media e design thinking.

Marketing Breaking Bad.

AAEAAQAAAAAAAAKoAAAAJDllODZlN2FkLWMyODgtNDE2Yy05MDFlLTdiOWExOTczYmQyYQNosso parceiro Alexandre Mota, especialista em desenvolvimento de sistemas para a gestão complexa de processos comerciais, de marketing e vendas, envolvendo tecnologia da informação e atualmente Executivo de Vendas e Marketing da Gotobiz, startup gaúcha que recentemente recebeu um aporte de R$ 1 milhão de investidores e tem a parceria Premium do Google AdWords para PME e Salesforce, gigante americana de CRM na nuvem, nos brinda com esta pérola de percepção sobre empreendedorismo a partir do seu olhar de negócios sobre o seriado Breaking Bad. Confiram!!


Warning: Creating default object from empty value in /home/bpress/www/wp-content/themes/thestory/functions/gallery.php on line 575

Imagens Úmidas.

Quem for a Florianópolis no próximo feriado de 01 de maio não pode deixar de passar no restaurante Marquês, Av das Rendeiras, 200, na Lagoa da Conceição para ver a exposição Imagens úmidas, do editor, fotógrafo e cineasta uruguaio, radicado na ilha, Gabriel Varalla Groppi, o Guel.

Nas imagens o mar sob o olhar do profissional dentro d’água, quando está trabalhando para registrar imagens de esportes aquáticos. O resultado são imagens lindas, em ângulos e enquadramentos únicos, aproveitando horários mais críticos da luz natural.

Quando o storytelling vira uma história mal contada.

Manipular a verdade ou se afastar dos valores da marca pode trazer prejuízos à credibilidade.

No final do ano passado, a Revista Exame trouxe a público o caso de duas empresas que se excederam na glamourização de suas histórias:  a marca de sorvetes artesanais Diletto e a fábrica de sucos Do Bem. A matéria com o sugestivo título “Toda empresa quer ter uma boa história. Algumas são mentira.” expôs a incoerência das narrativas que geraram insatisfação nos consumidores e notificações do CONAR.

A marca de sorvetes artesanais Diletto, por exemplo, teria sido criada por um imigrante italiano que veio ao Brasil fugido da segunda guerra mundial. Após comprovação de que o personagem nunca existiu, a empresa foi notificada pelo CONAR que recomendou a mudança na sua comunicação em embalagens e peças publicitárias, alertando que a história contada é fictícia.

Já a empresa de sucos Do Bem dizia que suas laranjas eram cultivadas e colhidas na fazenda de um senhor chamado Francisco no interior de São Paulo. Mas quem fornece as laranjas para a Do Bem são empresas comuns como a Brasil Citrus, que abastece diversas outras marcas.

Do bem

Existem exemplos também nos Estados Unidos, onde destilarias de uísque que se apresentavam como artesanais, divulgavam histórias fantasiosas de como suas bebidas eram produzidas, envelhecidas e embaladas, quando na verdade revendiam produtos comprados de um grande fabricante.

Além dos prejuízos de imagem e de venda dos casos acima, deve-se considerar a decepção que eles geram em uma parcela significativa so seu público. Posso falar por mim mesmo, já que a caixinha divertida com uma história diferenciada dos sucos Do Bem me cativou , mas no final acabou revelando um gosto azedo.

Não vejo necessidade de se colocar em posição de desvantagem na comparação com quem trabalha com conteúdo verdadeiro. Todas as empresas tem na sua trajetória elementos que podem gerar excelentes narrativas e garantir  destaque com o brilho de sua própria história. Tudo é uma questão de saber jogar a luz nos pontos que podem emocionar e gerar empatia com o consumidor.

Afinal, como já disse David Ogilvy, “Conte a verdade, mas faça com que ela seja fascinante”.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial